domingo, 12 de março de 2017

Pienza, a terra do queijo pecorino

Pienza, um antigo  borgo medieval transformado em cidade renascentista, localizada na esplêndida região da Val D'Orcia. Essa descrição bastaria para entender porque a cidade natal do Papa Pio II, ao sul de Siena, foi a base que escolhi para percorrer o interior da Toscana. Já escrevi aqui o post sobre nosso lindo hotel na cidade. Veja aqui http://lugaresearomaspelomundo.blogspot.com.br/search/label/Pienza%2FToscana?m=0  

                 
Eu escolhi Pienza por sua proximidade com Montalcino, Montepulciano, San Quirino e Siena. Muitas pessoas preferem ficar em Siena e dai percorrer a Val D'Orcia, o que não é má ideia, já que Siena fica estrategicamente próxima também a Florenca, à SAN Gimignano, além das cidades do Chianti. E por que não escolhi Siena ? Porque eu queria vivenciar a Toscana genuína, a Toscana Medieval, dos campos, dos ciprestes, em um hotel/agriturismo que me oferecesse essa experiência. Sim, ao redor de Siena existem muitas opções de agriturismo, mas eu escolhi Pienza, e a escolheria um zilhão de vezes.

Eu me apaixonei por aquelas janelas enfeitadas com flores, por aquela vista dos campos da Toscana, pelas pitorescas lojas de produtos locais, dá vontade de trazer a Itália na mala. Eu quase trouxe. 


 


 


 


 

Não tem roteiro, apenas se perca pela Via dell'Amore, Via della Fortuna, Via del Bacio, se perca na vista esfuziante do mirante da cidade. Ande, ande, respire aquele perfume dos campos, descubra cada ruela, cada uma delas dará em algum cantinho encantador, ouçam os sinos que batem fazendo o tempo parecer parar. 

 


 

 


 


Eu disse que era a terra do queijo pecorino ? Pois faça um favor a você , traga todos quantos puder, de todos os sabores, tradicional, trufado ( O melhor !!!! ), com nozes, com pimenta .... entre em cada lojinha, deguste, acompanhe um vinho, acrescente azeite ( trufado de preferência ) e se joga !!!! Por fim traga na mala um pouco dos sabores que só a Itália tem. 

 

 

Onde comer ? Escolhi o Trattoria la Chiocciola, não fica no centro do borgo, mas é fácil de encontrar. 
Aliás, comemos lá dois dias de tanto que gostamos. Pedi uma massa ao tartufo muito bem acompanhada de uma/S taça/S de Brunello, que aliás foi o acompanhamento de toda a viage. Ah, Marcos na sua missão de escolher a melhor da Itália, foi de pizza e..... Brunello, obvio ! 

 

 


 

Endereço : Via Mario Mecantelli, 2 , 53026, Pienza, SI, Itália. 
www.trattorialachiocciola.it 

Última dica, visita à cidade de San Quirico d'Orcia, bem ali pertinho. É na estrada que liga Pienza a San Quirino que você terá a imagem da silenciosa, solitaria e linda Capella della Madonna di Vitaleta.  Ela fica muito próxima a San Quirico d’Orcia. O ponto de referencia que peguei para chegar até lá foi uma variante da Strada Provinciale di Chianciano, que liga San Quirico de Val d’Orcia a Pienza. 

         Madonna di Vitaleta 
 

 

No alto de uma colina lá está ela, reinando solitária entre ciprestes. Fiquei ali sentada, olhando ao redor, apenas agradecendo. Mentira! Pedi, pedi muito para voltar logo, o meu coração já era todo da Itália. 

 

E como sempre gosto de me despedir com uma imagem que represente o quis passar no post, aqui vai a que representa a pequena Pienza 

 

Alla prossima amici!!!! 

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Onde comer tiramisù em Roma

Hoje me bateu saudade do meu doce preferido, o italianissimo tiramisù, e resolvi dividir aqui dois enderecos fantásticos em Roma. 

Eu viajei para Itália com a intenção de provar tantos fossem possíveis, e o fiz, mas dois lugares eu diria que não podem faltar na lista dos amantes da combinação perfeita entre mascarpone, açúcar e café. 

O primeiro é o ZUM, uma portinha pequenina no Campo di Fiori, que esconde sabores inimagináveis dessa sobremesa.  Não é facílimo de encontrar, mas como referencia, fica próximo a piazza del teatro di Pompeo. 

O paraiso onde você encontra do clássico a picolé de tiramisù, receitas sem glúten, sem lactose e light. Tiramissu light? Quem se arrisca ? 


Os preços vão de 1,80 Euros o mini, a 4 EUROS  porção maior. O mini é legal para levar para o hotel e experimentar vários sabores. O de pistache, supimpa!!! Para quem ama pistaches, a combinação com mascarpone ficou no ponto. 


Ainda  não me perdoo por não ter provado o cookie, eu sou apaixonada por cookie mas não deu para provar tudo, fica a dica para quem for. Me contem depois. 


    


O outro é mais conhecido, com certeza se você está com viagem marcada a Roma, já ouviu falar do POMPI. 


Localizado em um quadrilátero disputadíssimo pelos turistas, pertinho da Escadaria di Spagna, em um reduto repleto de cafeterias charmosas, incluindo o Antico Caffè Greco - que eu recomendo uma parada, nem que seja para um café no balcão, o local é tradissionalissimo, lindo e serve um café delicioso. 


                Caffè Greco 

 


 



Voltando ao Pompi, fica na Via della Croce, a poucos passos do Panificio Guerra, outra portinhola famosa por servir uma boa massa a preço excelente. 


O combo Panificio Guerra + Pompi é uma boa pedida, mas eu repetiria o Pompi, mas não o P. Guerra. Por que ? Porque comi massas bem melhores em Roma. A de lá achei boa, preço justíssimo, 4 EUROS - acreditem! - mas nada demais. Se for para um almoço corrido, tá valendo. E foi por essa mesma razão que o escolhemos, em meio a um dia apertado do roteiro. Zero glamour, é comer em pé ou sentado na calçada.  Do contrário, pularia o P. Guerra, indo direto para o Pompi e arremataria com um café no Antico Caffè Greco. 

Nosso roteiro mais eclético impossível, foi do almoço na calçada para o glamour dos Salões do Antico Caffè Greco. 


                              Panificio Guerra 

 



                                 Caffè Greco 

 


Sobre o tiramisù ? Receita clássica, perfeita, parece um algodão doce de tanto que derrete na boca. Lá eu fui apenas no clássico, mas os sabores são bem variados também. 


                           Sabores do Pompi 

 


 


 



E aí ? Alguém mais amante do tiramisù ? 


quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Nosso hotel em Pienza/Toscana

Quando falamos na Toscana, logo vem à cabeça os campos de girassóis, rolos de feno, caminhos de ciprestes .... Era essa a imagem dos meus sonhos. O que eu não sabia era que, para ter acesso ao coração dessa paisagem, precisaria fazer o trajeto pelo interior da Toscana, mais precisamente pela Val D'Orcia - tombada pela Unesco, é conhecida pelos vinhos DOC Brunello di Montalcino e de Montepulciano.  É aí que encontramos todas essas paisagens, pelas estradas secundárias dessa bela região italiana.

 


Claro que se você fizer, por exemplo,  o caminho entre SIENA e Florença, pela famosa SS222, também conhecida como " Via Chiantigiana,", terá igualmente uma paisagem de tirar o fôlego, dos vinhedos de Chianti, lindos vilarejos, colinas, ciprestes e tudo mais. Aliás, esse caminho é uma ordem no seu roteiro. Mas a região da Val D' Orcia era a imagem que eu guardava e foi aí que escolhemos fazer base para nossos passeios pela Toscana. 

Vamos por partes. Como eu não sei de onde você estará partindo, vou contar aqui nosso roteiro pela Toscana - em breve! Desde já, aviso que precisei tirar do roteiro inúmeras cidades que eu ainda visitarei, mas por falta de tempo, precisaram ficar de fora dessa primeira viagem. 

E aqui a primeira super dica : Toscana é " SLOW TRAVEL" !  Nem pense em visitar inúmeras cidades em um só dia, so porque ficam próximas umas das outras, porque assim, você apenas verá mas não conhecerá e, principalmente, não vivenciará a Toscana. E amigos, a Toscana é para ser intensamente vivida com deleite e calmaria. 

Partimos de Roma  de carro - farei um post explicando como chegar até algumas cidades da Toscana, que pode ser de trem, ônibus ou carro. Essa ultima opção, a melhor para conhecer as pequenas cidades sem hora marcada, livre de compromisso com o relógio.  

Alugamos na estação Termini e de lá seguimos até a região da Umbria, onde passamos a manhã em ORVIETO - post a parte. De ORVIETO seguimos até Pienza onde ficava nosso hotel. 

Muitas pessoas preferem fazer base em SIENA, por ser uma cidade maior e estrategicamente bem localizada. Vou explicar tudo em post oportuno. Nós porém, optamos pela Val D' Orcia, na pequenina Pienza. 

Sobre a escolha ? Acertadissima! Em viagem próxima não exitarei em repetir. Sim, eu já planejo a volta, aliás, comecei a planejar ainda durante a viagem. Eu tinha certeza que amaria a Itália, principalmente por contar parte da história da minha família, mas eu não sabia que amaria com tanta  força. Me pegou de jeito! 

Pienza é encantadora - post a parte  sobre essa jóia da Toscana - e o nosso hotel, bem eu prefiro chamar de " a nossa casa na Toscana ", foi a melhor escolha que eu poderia ter feito para desfrutar o que a Toscana tem de melhor;  paisagens que emocionam, amanhecer que te convida à vida, por do sol incrivel, vinho, queijo pecorino, sombra de oliveiras, cheiro de  lavanda, tudo isso como se estivéssemos em casa. 

Segunda dica importante : a melhor forma de vivenciar essa experiência é hospedando em um agriturismo, estilo de hotel fazenda onde os proprietários, em geral, residem e tiram seu próprio sustento, seja com produção de queijo, azeites, vinho etc. Não há forma melhor de se sentir na Toscana de verdade, quase como um local. 

O nome que carrega esse post é  "Borgo Sant Ambrogio - Resort ", a nossa casa na Toscana. O Borgo S.A. fica fora do centro de Pienza, não é fácil encontrar nem com GPS, passa por estrada de chão sentido a San Quirino, mas uma vez que você chegou depois fica fácil guardar o caminho. 

 

 
 

                      E a lua ainda reinava 
 

 

 

 


Chegamos a Pienza  ao final da tarde de um domingo ( dia do aniversário de dois anos de Bento) e ainda fomos jantar. Já estava tarde quando resolvemos ligar para o hotel para pedir mais coordenadas para chegarmos até lá.  Monica, uma querida que nos atendeu, ao perceber nossa dificuldade, veio nos buscar no centro de Pienza, cerca de dez minutos. Durante  o trajeto aproveitei para gravar o caminho no app Wase, no GPS do carro não rolou mesmo. E  não sei como seria se ela não tivesse nos buscado. Mas enfim, chegamos ao hotel. 

Exatamente como imaginávamos e mostrava no site. Quarto clean, cama king, decoração rústica com vigas de madeira no teto, banheiro ótimo, roupas de cama com cheirinho de lavanda, varanda com vista..... A vista !!!!!

Pausa para falar da vista. O que foi acordar no dia seguinte e abrir a porta do quarto? Aquela imensidão verde das colinas, ar fresco e gelado da manhã, o horizonte cortado pela cerração que já se desfazia. Ainda não sei descrever a sensação de paz que me invadiu. Era tudo que eu havia sonhado. De brinde, um balão que subia naquele momento, conferiu um ar ainda mais bucólico àquela primeira manhã no borgo. Eu não queria ir embora nunca mais.  De onde quer que você olhasse a visão era estupenda. Eu estava na Toscana!!! "Me belisca que eu acho que estou sonhando", era o que eu pensava enquanto olhava o horizonte. Gratidão era o que eu sentia. 


                          Vista do quarto 
 

 

 

                        Varanda do quarto 
 

                      Vista da área da piscina 
 

 

Café da manhã ! Primeiro contato com o famoso queijo pecorino, que é produzido ali mesmo em
Pienza. Paixão pra vida toda, trouxe na mala. Tomate, não, não é só um tomate, é o tomate melhor da vida. Nunca mais conseguirei comer tomate sem pensar no " verdadeiro ". 

Pausa para uma observação : " se acostumem com meus superlativos ao tratar da Itália, em especial da Toscana, tudo é muitoooooo, mas muitoooo mesmo". 

Mais bolos, geleias, suco feito na hora, ovos, tortas artesanais, yorgute, cereais, pães, brioches,  absolutamente tudo sensacional. Simples e incrivelmente saboroso. Lembrando que comida na Itália é sazonal, então, tudo que você comer será praticamente fresco. Suco é da fruta da época, se for estação das castanhas elas estarão lá à sua mesa, trufas e tudo mais. Esse é um dos segredos de sabores da culinária italiana. E eu, abençoada  como sou, peguei a época da colheita de uvas, olivas enada  mais nada menos que trufas !!!!! Oh sorte!!! 


                   Área do café da manhã 
 

 

 

 

 

 

O espaço ao redor do hotel, as áreas comuns, feitas para você não querer outra vida, bancos sob oliveiras no jardim, lavandas pelo caminho, verde, muito verde, flores, tudo com vista para as colinas da toscana. E a piscina de borda infinita ? Apenas olhem as fotos, pois já não tenho mais palavras. 

 


 


 


 

 

 

 

 

 

Quem também ama oliveiras? Olhem que lindas!!! Pensem se não dá vontade de passar o dia todo a admirar a vista, sentada nestes bancos sob elas. Acrescenta um vinho  - você está na região dos melhores vinhos italianos - e pronto! Combo perfeito para passar o resto da vida curtindo o " dolce far niente". 

 

 

 


E lavandas, você ama o cheiro delas pela manhã ?  Tá aí um sonho para realizar, me perder em um campo de lavandas. Queria me perder também em um campo de girassóis, mas a época forte deles na Toscana terminara um mês antes, agosto. Apenas consegui ver alguns que ainda resistiam. 

                             Lavandas 
 

Tudo  isso acrescido do atendimento caloroso da Mônica e de um outro rapaz que Bento, carinhosamente, chamava de " moço " e, por isso, acabei não guardando seu nome. 

E foi ali que vivemos nossos dias no interior da Toscana, antes de seguir para Florença, onde fizemos outra base para percorrer outras cidades da região. 

Nem preciso dizer o quanto indico a experiência. Falarei de Pienza em outro post e o quanto a cidade é bem colocada como base para percorrer a região. Uma vez em Pienza não pense duas vezes em escolher o Borgo Sant' Ambrogio. 

Minha última preciosa dica : não deixem de separar uma tarde para desfrutar do por do sol bem acompanhado de um vinho Brunello, que você  certamente irá comprar em Montalcino, outra jóia imperdível da Toscana. Ahhhh suspiros!!! 

 

Arrivederci a tutti